Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2016

Motorizada Classica Saxonette da Sachs

Passou de geração em geração e actualmente não sei onde coloquei os documentos e a matricula.

Fichtel & Sachs AG, tem motor Saxonette  de fabrico Alemão, um dos primeiros motores da Sachs a pedais , o deposito de combustível fica no quadrante conforme se pode ver nas fotografias.

Fabricado em Águeda / Anadia  no ano de 1966.

Precisa de ser restaurada.
Para os amantes de Saxonette raríssimas fica aqui o memorial










Cartão para árvore de natal 2016

Mais um cartão em ponto cruz para pendurar na árvore de Natal.
A Luz de Jesus acenda nos corações de todos.
Boas festas.



Travador regulável de serrote

Os tempos modernos das novas tecnologias avançam e deixam para traz peças feitas com arte.
Este travador de serrote muitas vezes utilizado, para dar trave ao serrote na arte de carpintaria, foi de fabrico
artesanal entre os anos de 1940 / 1950.
Uma serra ou um serrote bem afiados e com uma trava perfeita são essenciais para cortes rápidos e fáceis.
Com o auxilio de uma ´régua, peça de madeira onde encaixa a serra para melhor fixação e presa na prensa,
deixando apenas os dentes do serrote salientes, vai-se dando trave.

Na memoria fica as imagens desta elegante peça.







Graminhos antigos

Não era só fazer mas fazer com arte e ao estilo de cada um, consoante as necessidades, bem conhecida entre carpinteiros e marceneiros.

Os " Graminhos" são peças de ferramenta que permitem traçar linhas paralelas às bordas da peça de madeira e encontrar as linhas do centro.

Fica na memoria, estes dois "Graminhos " construídos artesanalmente, nos anos 50 e 60.










Sonhos com massa cozida

5 dl. água 60 grs. de manteiga ou margarina 40 grs. açúcar 1 casca de uma  laranja inteira sal 300 grs. farinha com fermento 5 ovos Óleo q.b. Açúcar e canela q.b.
Modo de preparar:
Colocar num tacho, a água, margarina, açúcar, a casca de laranja, sal a gosto e levar ao lume, quando levantar fervura e a água ficar com o aroma da laranja, retira-se a casca e mistura-se de uma só vez a farinha. Deixar cozer a farinha e mexer até formar uma bola de massa e se soltar do fundo do tacho. Colocara massa sobre uma pedra de serviço e amassar, deixar arrefecer a massa. Numa tigela colocar a massa e adicionar os ovos, um a um amassando muito bem entre cada adição do ovo. Aquecer o óleo a 150º C, colocar colherada de massa do tamanho de uma noz. Fritar de ambos os lados, a massa vira-se sozinha. Escorrer em papel absorvente, polvilhar com uma mistura de açúcar e canela ou servir regados com um fio de mel.



Bolinhas de fiambre e queijo

Usei:
Para a massa:
2 chávenas de água 2 Chávenas de farinha Sal q.b. 1 Colher de (sopa) de Manteiga
O recheio:
Fiambre picado q.b. Queijo para gratinar q.b.
Para panar:
Ovos batidos Pão ralado







Coxinhas de frango

Recheio:
Azeite q.b Cebola picada  Salsa picada Peito de frango cozido e desfiado Sal Piripiri
Massa:
2 chávenas de água 2 Chávenas de farinha Sal 1 colher (sopa) manteiga
Panar:
Ovo batido Pão ralado
Óleo para fritar.
Recheio:
Picar a cebola e a salsa, colocar num tacho com um pouco de azeite e deixar refogar. Acrescentar o frango desfiado; temperar com sal, piripiri. Deixar apurar e reservar.
Massa:
Colocar num tacho a água temperada com sal e manteiga, assim que ferver, colocar a farinha toda de uma só vez e mexer bem até ficar uma bola de massa desagarrar do fundo do tacho. Em seguida colocar a massa sobre uma pedra e amassar um pouco até ficar homogénea. Deixar arrefecer  e moldar círculos de massa e rechear .
Passar por ovos batidos, pão ralado e fritar. Escorrer em papel absorvente.






O meu tear de tapeçaria

Neste tear,  teci idas e vindas com a lançadeira;  de nós da minha efémera vida.
Cada nó feito e desfeito teve o mesmo amor, que os bordados tecidos . . . 





Rabanadas Poveiras

Ingredientes:
Leite suficiente para humedecer todo o pão pães (bijou ou molete) secos  (3 a 4 dias) Gemas de ovo Mel Canela em pó Açúcar
Preparação:
Colocar num tacho 1 litro de leite, 3 gemas de ovo, 1 colher de sobremesa cheia de mel, 4 colheres de açúcar (a gosto), 1 colher de café cheia de canela em pó, (acrescentei farinha custarda,deu um tom  mais amarelo ao leite e poupei nas gemas ), bater com varinha magica para misturar bem, levar ao lume a amornar. Retirar do lume.   Cada 1 dos 16 pães (que eu usei nesta receita) é descascado das côdeas e depois mergulhado na mistura do leite morno, cerca de 8 minutos virando dum lado e do outro para encharcar o interior do pão. Entretanto colocar numa tigela as gemas de ovo e bater para misturar bem. Escorrer com as mãos cada pão, retirando o excesso de leite, passa-lo pelas gemas batidas e fritar em óleo bem quente. Escorrer em papel absorvente. Passar cada rabanada por uma mistura de açúcar com canela.
Servir. Bom apetite!

Bolhelhos

2 Kg de Abóbora menina ou cenoura 2 Kg farinha de trigo 4 a 6 Ovos 100 grs. Fermento de padeiro 5 grs. Sal 2 Cálices de vinho do Porto
Descasca-se a abóbora e corta-se aos quartos, vai a cozer num tacho sem água. De tempos em tempos, balança-se o tacho fora do lume para a abóbora, se remexer por ela. Coloca-se o fermento num pouco de água fria e dilui-se com um pouquito de farinha, reservar. Num alguidar de barro, coloca-se o sal, a farinha o fermento e a abóbora (ou cenoura) cozida e escorrida. Com as mãos amassa-se tudo muito bem. Vai-se pondo os ovos, um a um, amassando nos intervalos, até a massa ficar consistente. Se necessário, acrescenta-se um pouco de água a ferver, Amassa-se, batendo e misturando muito bem. Esta massa está no ponto certo, quando ao levantar um bocado de massa com as mãos, esta caí aos bocados e também faz bolhas em volta do alguidar. Coloca-se a levedar, tapando o alguidar com um pano e uma manta quente em lugar ameno; durante uma hora. Decorrido o tempo, fr…